Em 21/05/2014 no auditório do Ministério do Trabalho ocorreu reunião sobre o programa governamental eSocial, na qual houve a prorrogação oficial de sua implantação.Empresas ganharam pelo menos mais 14 meses para entender e implantar o novo sistema.

O evento contou com a presença do Ministro do Trabalho, Manoel Dias; do Secretário-Executivo da Previdência, Carlos Gabas; do Secretário da Receita, Carlos Barreto; do Presidente do INSS, Lindolfo Sales; do Vice-Presidente da Caixa, Fabio Cleto; do Presidente da FENACON e de representantes das Confederações, do SEBRAE, da FIESP e Federações Patronais.

O ambicioso programa do governo federal visa padronizar e unificar todas declarações trabalhistas através de uma única plataforma eletrônica, agrupando informações. A sua principal vantagem é a padronização e integração dos cadastros das pessoas físicas e jurídicas no âmbito dos órgãos participantes do projeto (Receita Federal, INSS, Ministério do Trabalho e Caixa Econômica).

Na ocasião, o Governo declarou que busca agora a comunicação e interação mais abrangente com os envolvidos no programa acerca dos pontos positivos.

Sobre as novidades no E- social, tendo em vista as constantes reclamações quanto aos conflitos de informação do PIS dos trabalhadores entre a Receita Federal e a Caixa Econômica Federal, o que impedia o cadastramento dos empregados no sistema do eSocial, definiu-se que será construído um sistema de identificação padrão, tomando por base as informações do CNIS, que usa dados do PIS/NIT e CPF/MF.

A Previdência Social, a Receita Federal e a CEF estão sendo capacitados para melhorar o tempo de resposta e a eficiência das informações.

Foi anunciado que o atual Grupo Gestor do programa estruturará, com as entidades representativas (confederações) e outros envolvidos que foramconvidadas para o evento, a constituição de um Grupo de Trabalho, voltado para (i) a ampla reavaliação do programa até a presente data, (ii) a oitivade propostas e (iii) a realização das modificações necessárias.

Veja também:  Decreto altera o procedimento de concessão e cessação do benefício de auxílio-doença

Após um período de 03 meses para a construção do grupo de trabalho. O grupo de trabalho terá 06 meses para o aperfeiçoamento do modelo completo do programa, concluindo-se em aproximadamente janeiro de 2015.

Após,06 meses serão destinados para testes pelas empresas, sem obrigatoriedade, ou ainda, até o meio do ano de 2015.Então,dar-se-á efetivamente o início da operação do eSocial, com empresas de maior porte, quais sejam, as do regime do lucro real.

Ressalta-se que haverá, ainda, um modelo simplificado para as micro e pequenas empresas, além dos empresários individuais.